sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Dificuldades em compreender avaliações estrangeiras de carros? Veja aqui.

É evidente que não existe jornalismo automotivo apenas no Brasil e, para você, que ainda não tem inglês avançado (como eu), você precisa entender algumas expressões tanto dos britânicos quanto dos estadunidenses (ou norte-americanos ou americanos, as you wish).

Então peguemos um exemplo, do Honda Civic de oitava geração, avaliado pela mídia Consumer Guide, uma das melhores dos EUA que pude consultar até hoje. São objetivos e diretos ao ponto. Coletemos os trechos:

Pros: Control layout/materials / Fuel economy / Quietness (sedan) / Steering/handling (Si): Control layout/materials se refere à respectivamente ergonomia/acesso aos comandos e materiais se refere aos materiais de acabamento interno. Fuel economy é o consumo do carro, quietness ao silêncio a bordo e steering/handling à precisão da direção em altas velocidades e a segurança que passa ao condutor. 

Cons: Acceleration (hybrid) / Cargo room / Noise / Rear-seat comfort (coupe): Acceleration à aceleração, Cargo room ao espaço no porta-malas, Noise ao alto ruído interno (barulhos incluindo de rodagem e ruídos de vento) e Rear-seat comfort ao conforto de quem senta no banco de trás.

"[...] Sedans take bumps in stride, with good absorbency and little float or wallow. LX and EX versions are especially stable at highway speeds. Coupes feel choppier on uneven surfaces, but even a firm-suspension Si never jars. "
 
A palavra bump pode significar inúmeras coisas (assim como as demais expressões) e, como na língua inglesa, deve ser utilizada (além de seus sinônimos) de acordo com o contexto no qual foi colocada. No contexto se refere à solavancos e impactos existentes no asfalto norte-americano. Traduzindo para o bom português brasileiro: Sedãs passam por impactos e solavancos, com boa absorção e pequena flutuação. Versões LX e EX são especialmente estáveis à velocidades de rodovia. Os coupés passam mais imperfeições em superfícies desniveladas, mas mesmo uma firme suspensão do Si nunca sacode.

 
Agora vamos ao CarWow, mídia automotiva britânica na qual está hoje o Mat Watson (que estava no CarBuyer, onde estava também a Rebecca Jackson), analisando o Civic¹ (de nona geração).

[Nota do editor: pontos positivos] Big boot / Clever interior / British built: Não, o carro não tem uma grande bota... boot aqui se refere ao espaço do porta-malas (enquanto nos Estados Unidos é trunk), portanto, o carro foi elogiado pelo espaço no porta-malas. Clever interior a um interior inteligente. British built pode soar como nacionalismo, mas como o carro é feito no Reino Unido (até hoje, cuja versão única feita na décima geração, a hatchback, é exportada para os EUA), pode significar vantagens em qualidade construtiva.

Você também concorda que o interior é inteligente? Foto: CarWow.
 
[Nota do editor: pontos negativos]  High prices / Poor rear visibility / Ride quality complaints: Você achou que a Honda apronta essa só no Brasil? Pois então, it's a car with high prices, altos preços. Poor rear visibility à pobre visibilidade traseira. Ride quality complaints... qualidade de montar no carro? Não! A expressão ride é usada nas mídias de língua inglesa para se referir ao comportamento da suspensão e/ou à rodagem. No caso, queixas quanto ao rodar do carro. 

Espero ter esclarecido.

¹ Geração não-avaliada pela Consumer Guide. Certamente receberia duras críticas, como recebeu nas demais mídias do país, tanto que no ano seguinte a Honda fez reformulação (incluindo suspensão e materiais de acabamento). Será que no Brasil recebeu a mesma recepção?

Nenhum comentário:

Postar um comentário